Será que está mesmo na hora de substituir seu sistema de folha de pagamento?

Nos últimos anos tenho estudando todos os movimentos do mercado de tecnologia voltado a recursos humanos e gestão de pessoas em geral. É impossível se especializar em um determinado mercado sem estudo, aprofundamento, entendimento e até mesmo, algo que muitos chamam de “barriga no balcão”.

Para acompanhar este movimento, não só tenho estudado os principais players do mercado, como também participo ativamente de comunidades sobre o tema, tenho reunião frequentes com profissionais da área que possuem uma visão privilegiada e real sobre o mercado.

Como a nossa empresa atua neste mercado, frequentemente me deparo com empresas me perguntando se deveriam trocar seu software atual de folha de pagamento, e acredite, não são poucas.

Até consigo entender este movimento por conta de novas demandas do governo, como é o caso do eSocial por exemplo, que alias, vai …não vai..prorroga…mas enfim..papo para outro artigo.

 

as vezes a sua necessidade só será atendida por outra empresa com um produto complementar a do seu fornecedor atual

 

Bem, tenho uma visão muito particular em relação a esta necessidade de troca de sistemas, seja para um software focado exclusivamente em folha de pagamento ou outro qualquer. Compartilho a seguir uma lista de alguns pontos que devem ser considerados antes de sua empresa considerar dar este passo:

 

Qual o problema da solução atual?

Se o desejo da troca é simplesmente por questões tecnológicas, mas que de fato não gera ganhos reais de curto ou longo prazo, talvez uma boa conversa com seu fornecedor atual, principalmente para entender os rumos que o produto vai tomar (chamamos isto de roadmap de produto), pode simplificar a tomada de decisão, agora, se o problema é o relacionamento e atendimento, neste caso sim cabe uma boa analise, até quem sabe uma ligação para outras empresas que usam o mesmo produto. Esta pesquisa ajuda muito a entender onde realmente está o problema.

 

Agregar novas funcionalidades

O mercado de tecnologia esta em constante mudança, a velocidade é incrível e ninguém passa ileso por ela. Hoje muitas empresas são focadas em nichos, seus produtos são especialistas em determinados assuntos e naturalmente precisam abrir mão de investir em determinadas frentes, por exemplo, no mercado existem empresas especializadas em software exclusivamente para folha de pagamento (pagadoria), entendem que o assunto é complexo e requer atenção e foco. Elas definitivamente abrem mão de ter funcionalidades para gestão de pessoas, por exemplo.

No setor contábil, principalmente aquele voltado a empresas de contabilidade, isto é ainda mais comum. Esta verticalização, segundo pesquisas do instituto Gartner (principal autoridade em tendencias de tecnologia) é cada vez mais comum, principalmente com as possibilidades que a internet (leia-se cloud computing) tem oferecido face a redução de custos e facilidade de distribuição de novas soluções. Entenda qual o posicionamento do seu fornecedor, principalmente se sua empresa estiver satisfeita e segura com o produto, as vezes a sua necessidade só será atendida por outra empresa com um produto complementar a do seu fornecedor atual, não deixe de avaliar as possibilidades de integração e atendimento em geral.

 

Fornecedor único

 Claro que nesta lista não poderia faltar os fornecedores que possuem vários produtos no portfólio, geralmente as empresas especializadas em softwares de ERP (ou sistemas de gestão empresarial). Estas empresas tem um posicionamento diferente, até pela gama de funcionalidades que oferecem. Naturalmente que este modelo faz com que o produto seja muito mais aderente as boas práticas de mercado, até para atender uma grande gama de empresas e segmentos, a contra partida é que algumas funcionalidades acabam sendo mais simples do que das empresas especialistas (aquelas que falamos na lista anterior). Mesmo neste caso, é absolutamente comum que as empresas tenham que complementar suas demandas com mais de um fornecedor.

Voltando ao caso da folha de pagamento, alguns sistemas de ERP só possuem folha de pagamento, sem a parte de gestão, ou seja, cabe novamente avaliar se existe mesmo a necessidade da troca ou simplesmente buscar um software complementar pode reduzir custos e garantir um projeto eficiente.

O fato é que sempre cabe uma boa avaliação, caso a caso, principalmente respeitando a cultura da sua empresa, orçamento, prazos envolvidos, relacionamento com o fornecedor, tempo de aprendizagem de novas ferramentas, etc.

Não importa qual a área fim, o setor de tecnologia hoje é amplo e tem solução para (quase) todas as áreas. Converse com seus colegas do setor, participe de comunidades voltadas a sua área, aproveite o Linkedin e comece a seguir as empresas de tecnologia do seu ramo e que você admira, assim qualquer mudança será realizada de maneira mais segura.

Romualdo Silva

Romualdo Silva

Responsável pela areá de atendimento e relacionamento com o cliente na Cingo. Especialista no mercado de tecnologia para gestão de pessoas. Fundador e idealizador do blog RHThink.

Redes Sociais:
TwitterLinkedIn